CeMAT 2008 em Hannover

Integrado no seu plano de investigação e desenvolvimento, a Isretail pelo menos uma vez por ano visita Feiras Internacionais de Logística, de modo a se manter actualizada com as novas tendências de gestão do sector e com as mais recentes tecnologias aplicadas ao mundo da gestão de armazéns.

A Isretail mantém um plano diversificado de visitas, procurando desta maneira acompanhar as mudanças que ocorrem em mercados com características distintas como é o caso do mercado americano versus o europeu e dentro da Europa entre países que estão em diferentes fase de desenvolvimento da componente logística.

Estes encontros constituem excelentes oportunidades para trocar ideias e recolher tópicos para depois debatermos internamente e com os nossos clientes, aquando do planeamento dos desenvolvimentos, no processo de construção de novas soluções de configuração de processos no WPMS.

Depois de termos feito várias visitas à SIL em Barcelona, visitado a Feira de Milão e atravessado o Atlântico para ir a Chicago, este ano apostámos em Hannover na Alemanha, e fomos visitar a CeMAT 2008.

Trata-se de uma mostra internacional que se realiza de 3 em 3 anos sobre a temática genérica de Logística e Transportes. Para 2008 a CeMat procurou alargar o leque dos tópicos abordados, dando especial enfoque à eficiência energética, à necessidade de minimizar o impacto ambiental e à possibilidade de automatizar completamente o “processo de produção” da logística.

A CeMat 2008 contou com 1100 expositores oriundos de 35 países, sendo esperados 60.000 visitantes nos cerca de 80.000 m2 de área ocupada por este evento.

Em termos globais parece ter sido uma aposta ganha pelos organizadores, pois era evidente a dinâmica gerada em torno do evento.

A colocação de uma área dedicada ao Fórum Internacional, junto aos expositores, proporcionou uma participação muito maior no debate dos vários temas que eram lançados pelos convidados do Fórum. Das várias temáticas abordadas destacamos a implementação de um modelo de gestão “Lean Warehouse”, adaptado do conceito aplicado na gestão de produção e a problemática de automatização dos processos versus a rápida evolução da tecnologia.

Em termos de expositores, o prato forte era efectivamente a automatização dos processos de execução, com a combinação de várias tecnologias de modo a possibilitar o armazenamento de muitas SKUs em poucos m2, usando a altura e usando estações de trabalho combinadas com mecanismos de AS/RS (Automated Storage/Retrieval System) de modo a atingir picos de execução de 1000 caixas por hora.

Outro ponto de interesse foi o aparecimento de vários tipos de soluções com roll cages ou trolleys adaptados com receptores de RF e a possibilidade de interface com pick to light ou voice picking de modo a possibilitar a execução simultânea de vários clientes/encomendas. Nota-se aqui a procura de soluções para reduzir as distâncias percorridas no armazém e o tratamento de muitas encomendas de reduzida dimensão volumétrica.

Um tema que tem vindo a ganhar importância crescente nestas mostras internacionais, tem sido a utilização de mecanismos para a carga/descarga automática de carros. Existe uma preocupação crescente com a redução do tempo de ocupação das portas e com a redução do número de operadores a usar para a carga e descarga das viaturas.

Relativamente à componente de software para a gestão de armazém aferimos que o voice picking e o RFID ainda são as novidades do momento. Neste sector foi curioso verificar que a SAP não se fez representar sozinha com o seu WM, preferindo estar presente através de parcerias com outras empresas que desenvolveram soluções específicas para a gestão de armazém. Tratando-se de um evento na Alemanha, parece-nos ser revelador que a SAP optou por entregar as soluções logísticas a parceiros e não desenvolver o respectivo módulo internamente.

Em resumo, esta mostra acaba por confirmar a importância crescente que a logística tem nos diversos sectores e como é importante estar atento às tendências do mercado. Pensamos que estamos a entrar numa fase de consolidação, de combinação de várias componentes tecnológicas (RF, Luz, Voz e RFID) de modo a criar soluções inovadoras para cada operação logística concreta.

Mais Recentes

O Alfaiate da Logística

"IS.Retail - O Alfaiate da Logística Têm uma aplicação informática com cerca de 2.000 utilizadores, foram a primeira empresa em Portugal a oferecer ao mercado um software para a gestão de ...
Ler mais

Este é o Momento para Investir num Novo Sistema de Gestão de Armazém

Efectivamente existe um conjunto de boas razões para que as empresas apostem na introdução de melhorias tecnológicas e na melhoria do seu sistema de gestão de armazém, em momentos de ...
Ler mais

WMS: É fundamental para a execução de mercadoria

Visitem 3 centros de distribuição diferentes e provavelmente vão encontrar 3 processos de execução perfeitamente distintos. Se analisarem com atenção vão perceber que as melhores operações têm um elemento em ...
Ler mais