Dicas para Tempos Difíceis

Nestes tempos complexos em termos económicos, as empresas debatem-se para reduzir custos, mantendo o nível de serviço e aumentado a produtividade.

Com a incerteza que existe relativamente aos valores futuros das receitas e margens para os próximos 12 a 24 meses e não podendo contar com apoios governamentais para ajudar a ultrapassar este período crítico, a maior parte das empresas vê como única alternativa reduzir custos, sem deixar cair os níveis de serviço e aumentando os índices de produtividade. Parte da resposta a esta situação consegue-se com uma liderança criativa, que inspire confiança e apoio por parte de todos os empregados.

Paralelamente é urgente levar a cabo uma explicitação clara e bem articulada dos desafios que, em conjunto, devem enfrentar e resolver. É fundamental construírem e implementarem, de modo colaborativo, um plano de acção onde esteja bem clarificada a forma como a produtividade individual afecta os resultados da empresa.

Isto significa que é necessário desenvolver e utilizar um conjunto de indicadores de gestão internos, que estejam directamente ligados aos objectivos e estratégias de curto e longo prazo da empresa.

Mais importante do que investir na aquisição de quadros de valores de referencia externos, é desenvolver internamente os vários perfis de indicadores de gestão e valores de referência e divulga-los a todos os elementos da empresa, assim como indicar o que cada elemento deve fazer nas suas actividades diárias, para se manter dentro dos objectivos traçados.

Outro ponto que convém ter em conta durante o processo de definição e desenvolvimentos dos indicadores de gestão, são os impactos cruzados que melhorias em determinados indicadores podem ter noutros indicadores. Especialmente quando esses impactos são negativos. A título de exemplo é fácil de perceber que melhorias na quantidade de pedidos que se conseguem tratar por hora tem um impacto positivo no ciclo de encomendas (tempo entre o início e o fim do tratamento de uma encomenda) e na entrega de encomendas dentro do prazo acordado. No entanto é natural que tenha um impacto negativo no nível de erros de execução e na quantidade de produtos danificados durante o processo.

A existência de trade-offs entre os diversos indicadores, faz com que seja necessário estar particularmente atentos aos efeitos cruzados, de modo a implementar medidas adicionais para contrariar e minimizar os efeitos secundários indesejados que um indicador tem sobre outros.

Mais Recentes

O Alfaiate da Logística

"IS.Retail - O Alfaiate da Logística Têm uma aplicação informática com cerca de 2.000 utilizadores, foram a primeira empresa em Portugal a oferecer ao mercado um software para a gestão de ...
Ler mais

Este é o Momento para Investir num Novo Sistema de Gestão de Armazém

Efectivamente existe um conjunto de boas razões para que as empresas apostem na introdução de melhorias tecnológicas e na melhoria do seu sistema de gestão de armazém, em momentos de ...
Ler mais

WMS: É fundamental para a execução de mercadoria

Visitem 3 centros de distribuição diferentes e provavelmente vão encontrar 3 processos de execução perfeitamente distintos. Se analisarem com atenção vão perceber que as melhores operações têm um elemento em ...
Ler mais